Como calcular o aumento dos preços de medicamentos

Sem categoria Postado em 26/06/2019

Se acaso você possui interesse em aprender como é feito o cálculo do preço de medicamentos, mas não entende muito do assunto, vamos nos situar um pouco.

Primeiramente, todos os anos os medicamentos passam por um período de alta em valores.

Assim, o órgão responsável pela realização dessa tarefa é a Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos.

Em resumo, a câmara utiliza uma fórmula específica, seguida de um passo a passo que aqui será explicado de forma simples e objetiva.

Visão geral

A princípio, é correto afirmar que o setor de medicamentos sofre variações de valores a cada ano.

São tabelados, bem como controlados e organizados pela CMED. Neste ano, os valores foram alterados no mês de abril.

Desse modo, para que essa alteração ocorra não há um mês específico e os preços dos medicamentos aumentam apenas uma vez ao ano.

A fim de realizar esses cálculos, os órgãos governamentais usam como guia o Índice de Preços ao Consumidor (IPCA).

Em síntese, é um índice criado com a finalidade de medir a variação de preços do mercado para o consumidor final.

E não só isso, mas também representa o índice oficial da inflação no Brasil medido pelo IBGE mensalmente.

De conformidade com o IPCA dos últimos 12 meses, o governo aplica a sua fórmula o que explicaremos como fatores.

Fatores X, Y e Z

Só para exemplificar, suponhamos uma Indústria Farmacêutica que em um ano produz cerca de 10 mil pacotes de variados fármacos.

Contudo, em virtude de avanços tecnológicos atuais, essa empresa passa a produzir entre 15 e 20 mil pacotes com a mesma quantidade de recursos primários.

Dessa forma, o fator X se resume especificamente à análise e levantamento de dados referentes ao ganho e produtividade em toda a Indústria Farmacêutica.

Em seguida, o Fator Y apresenta grande diferença em relação ao anterior, principalmente por estar fora do mercado farmacológico.

Sua atenção é principalmente direcionada à busca de informações referentes ao impacto causado pelas indústrias no serviço de energia e taxa de câmbio do país nos últimos 12 meses.

Por fim, o fator Z, que além de ser dividido em três níveis diferentes de pesquisa, também é uma vertente do primeiro fator.

Esse fator foi criado com objetivo de estudar a concorrência, todavia, não é considerado um analisador de mercado.

Um pouco mais sobre os fatores

A princípio, a CMED estabeleceu três níveis de concorrência, numerados. Assim, cada nível trabalha de conformidade com um percentual específico de concorrência Genérica em suas vendas.

Quando há superioridade de 20% de Genéricos em seus valores referenciais de produtos vendidos, por exemplo, é considerado concorrente nível 1.

Se acaso haja entre 15% e 20% de Genéricos nos valores, o concorrente se enquadra no nível 2.

Por fim, se os valores de Genéricos forem inferiores à 15%, fica selecionada concorrência de nível 3.

Fórmula de cálculo

Em resumo, para que seja feito um cálculo efetivo vamos selecionar o IPCA do ano que será aplicado o cálculo. Nesse sentido, usaremos o ano atual, 2019.

Posto que o IPCA desse ano foi de 3,887%, para o cálculo é subtraído esse valor do Fator X em seguida somado ao Y e Z. 

Assim, uma vez que a indústria aumente sua produtividade, o governo retira um pouco dessa taxa de produtividade, o que garante que o aumento da produção de medicamentos será menor.

De conformidade com a pesquisa realizada pelo governo esse ano, o setor de ganho e produtividade não gerou resultados, o que resultou em fator X com valor igualmente a zero.

Em seguida, o fator de energia e taxa cambial do país ficou em 0,443%. E, por fim, o último fator, por ser ligado ao Fator X ficou igualmente zerado em seus valores.

Em virtude de observar essas informações e realizar o cálculo, chegamos à conclusão de que a alta no valor dos medicamentos desse ano foi de 4,33%.

Em contraste com as pesquisas do ano anterior, sabemos que o Fator X foi superior à 0, por isso os níveis 1, 2 e 3 tiveram diferentes taxas de aumento, baseadas em seu nível de competitividade.

Finalmente, esperamos que possa ter tirado bom entendimento deste artigo. A fim de mais informações como esta, não deixe de acompanhar nossos posts. Se acaso reste alguma dúvida ou haja alguma sugestão, converse conosco! Até a próxima!

Site: www.simtax.com.br

Telefone: (11) 5096-6600

WhatsApp: (11) 97543-4715

E-mail: comercial@simtax.com.br